amigdalas

Entenda a relação entre apneia do sono e as amígdalas

A apneia do sono é um problema que aflige grande parte da população, causando desconforto e transtornos que influenciam diretamente na qualidade de vida das pessoas acometidas por esse distúrbio. E uma das possíveis causas para o problema pode estar nas amígdalas.

Neste artigo, vamos esclarecer qual é a relação existente entre as amígdalas e a apneia do sono. Confira!

Amígdalas

As amígdalas, ou tonsilas palatinas, são estruturas que fazem parte do sistema de defesa do organismo. São compostas de tecido linfático, cuja função é produzir linfócitos, células de proteção ao organismo, que combatem os antígenos que acessam o corpo pelo ar e pela nossa alimentação.

Estão localizadas na parte oral da faringe e são compostas por cerca de 20 invaginações, que formam as criptas, onde se abrigam os micro-organismos, as células epiteliais e os linfócitos.

Apesar de seu papel de defesa do organismo, estão associadas a inflamações decorrentes da ação de vírus e bactérias conhecidas como amigdalite, que pode ser aguda ou desencadear processos crônicos, decorrentes da infecção persistente das tonsilas. O problema pode causar sintomas como dores de garganta, dificuldade de engolir, febre, sensibilidade dos gânglios linfáticos e vermelhidão da região.

Apneia do sono

A apneia é uma ocorrência normal, que pode se repetir várias vezes durante o dia, causada por obstruções casuais das vias respiratórias.

Em alguns casos, no entanto, pode ocorrer com frequência durante o sono, configurando um problema que atinge cerca de 30% da população, embora muitas pessoas sequer saibam que sofrem desse problema. A recomendação é que pessoas que sentem dificuldade para dormir, que acordam várias vezes durante a noite, devem consultar um otorrinolaringologista, para que sejam investigadas as razões do problema.

A apneia do sono é responsável por 60% dos casos de baixa qualidade do sono e está relacionada a diversos fatores, como excesso de peso, estreitamento das vias aéreas, histórico familiar, congestões nasais, distúrbios cardíacos, problemas hormonais e consumo de álcool, entre outros.

Tende a causar, na medida da intensidade com que se manifesta, graves problemas ao paciente, como irritabilidade durante o dia, cansaço e indisposição para o trabalho e outras atividades do dia a dia.

Quando a causa são as amígdalas

Essas glândulas estão localizadas no início da garganta e, em consequência disso, estão em contato frequente com os alimentos ingeridos, fazendo parte do processo alimentar, combatendo germes.

Quando têm um tamanho exagerado, é comum que ocorra um acúmulo de alimentos, criando o ambiente para infecções e para a obstrução do ar, interrompendo a respiração. Uma vez inflamada, elas se avolumam, aumentando os episódios de apneia, que podem ser agravados se o paciente tem o hábito de dormir com a barriga para cima, situação em que a língua e a mandíbula se aproximam, dificultando ainda mais a passagem de ar.

Essa condição, além de trazer danos à qualidade de vida do indivíduo, aumenta o risco de problemas cardíacos.

Tratamento

Quando a amigdalite é aguda, o tratamento é feito à base de antibióticos. Se houver persistência do quadro, a solução a ser proposta pelo otorrinolaringologista é a cirurgia para a remoção das amígdalas. Tal procedimento, ao contrário do que possa parecer, não afeta sensivelmente o sistema imunológico, já que o corpo tem outras defesas.

Quer saber mais? Clique no banner!

Powered by Rock Convert

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp