disfonia

10 mudanças de hábitos para evitar a disfonia

A voz é uma das principais maneiras que o ser humano possui para se expressar. É por meio dela que a comunicação é realizada e as sensações de alegria, raiva e tristeza são demonstradas, por isso ela é tão importante. O som que emitimos pela voz é produzido pelas pregas vocais, consequência da vibração causada pelo ar vindo dos pulmões. A caixa de ressonância e a articulação da boca finalizam o processo de emissão da voz, e a disfonia acontece quando existe alguma dificuldade ou alteração nessa emissão.

Sintomas

A disfonia está relacionada a alterações funcionais ou orgânicas das pregas vocais. O sintoma mais comum é a rouquidão, mas também se manifestam:

  • Afonia (perda da voz);
  • Baixa projeção da voz;
  • Dificuldade em manter a voz;
  • Dor ao tentar falar;
  • Falta de ar;
  • Engasgos frequentes;
  • Esforço e dificuldade para falar;
  • Variação na frequência da voz;
  • Falta de ar ao falar.

10 mudanças de hábito para evitar a disfonia

1 – Hidrate-se

A água vai hidratar não apenas o seu corpo, como também as pregas vocais. Isso é importante porque, ao falar, o ar que entra pela boca provoca o ressecamento de toda a mucosa da boca, laringe, faringe e das pregas. Por isso, tenha sempre em mãos uma garrafa de água.

2 – Evite falar por muito tempo seguido

Em momentos em que a voz é muito utilizada, é importante fazer intervalos a cada 30 minutos para a hidratação. Dessa maneira, evita-se o ressecamento das pregas vocais.

3 – Descanse a voz

Profissões que precisam da voz acabam abusando das cordas vocais. Por isso, para compensar os momentos em que a voz é muito utilizada, é preciso descansar a voz sempre que possível. Após longos períodos de fala, faça intervalos de 15 minutos.

4 – Evite cigarro e bebidas alcoólicas

O cigarro, além de irritar a laringe, provoca pigarro, que pode ocasionar alterações nas cordas vocais. Além disso, com o uso constante, ele altera a voz e pode causar câncer no pulmão e na laringe. Já o álcool, além de irritar a mucosa, faz com que seu efeito anestésico mascare os excessos vocais.

5 – Evite falar alto e gritar

O mau uso e o abuso da voz são algumas das causas dessa alteração, que geralmente ocorre quando não há um preparo técnico e, assim, as cordas vocais são utilizadas além dos limites saudáveis.

6 – Tenha uma boa alimentação

Refluxo gástrico irrita toda a garganta e as pregas vocais, por isso é necessário possuir uma alimentação saudável e evitar longos períodos de jejum.

7 – Evite limpar a garganta

Abstenha-se de raspar a garganta para eliminar o pigarro, porque o efeito pode ser contrário. O indicado é ingerir água e fazer o movimento de deglutição.

8 – Cuide da saúde

Alergias e doenças respiratórias podem causar alterações vocais, laringite e outras patologias. Por isso, procure um médico para o tratamento.

9 – Respire pelo nariz

Quando respiramos pela boca, além de ressecar as pregas vocais e a garganta, deixamos nosso organismo mais suscetível a alergias e problemas respiratórios.

10 – Evite ar-condicionado

O ar-condicionado resseca todo o ambiente, pois suga a umidade existente. Dessa maneira, ele também tira a umidade as vias respiratórias. Esse ressecamento faz com que tenhamos que nos esforçar muito mais para falar, em comparação a um ambiente sem ar-condicionado.

A disfonia possui muitas causas. Quando elas possuem origem funcional, ou seja, quando não há alteração nas pregas vocais, mudanças no estilo de vida podem evitar alterações na voz. O problema ocorre quando ela não é tratada, podendo se agravar e causar pólipos ou outro tipo de patologia.

Quer saber mais? Clique no banner!

Powered by Rock Convert

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp