Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

A COF – Clínica de Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia de Passo Fundo – é composta por dois médicos Otorrinolaringologistas, um Cirurgião de Cabeça e Pescoço e duas Fonoaudiólogas. 

Os profissionais estão em constante atualização e aprimoramento a fim de oferecer um atendimento personalizado e de alta resolutividade aos pacientes da cidade de Passo Fundo e região.

Realizamos atendimentos para crianças e adultos.

Otorrinolaringologista:

o especialista em qualidade de vida.

A Otorrinolaringologia atua, em uma parcela pequena dos atendimentos, com a possibilidade de salvar vidas. Por outro lado, do que vale estar vivo sem alguma qualidade de vida? E é neste ponto onde atuamos de maneira mais aprofundada. Restaurando o bem estar dos nossos pacientes e permitindo a eles que desempenhem suas atividades pessoais e profissionais de maneira prazerosa e integral

Muitos estudos em Medicina avaliam a melhora da qualidade de vida e não dos resultados de exames. Isso porque, em boa parte destes casos, o mais relevante é a experiência do paciente, e não a impressão do profissional ou o resultado de uma tomografia, por exemplo.

Veja esses ganhos que a otorrinolaringologia pode proporcionar: fazer exercícios e dormir sem o “nariz trancado”, participar de uma festa de família ou encontro com amigos e poder ouvir com o que todos estão se divertindo, mergulhar tranquilamente no mar ou em uma piscina ou até mesmo tomar banho normalmente (sem necessidade de proteger o ouvido todos os dias). 

Cuidamos da sua qualidade de vida para que possa ter uma vida de qualidade.

Quando procurar a

COF?

Procure os nossos especialistas sempre que apresentar alguma dessas condições:

Nariz

Desvio do septo nasal

Rinite alérgica

Obstrução nasal

Hipertrofia de cornetos

Respiração oral

Sinusite aguda

Sinusite crônica

Atresia de coana

 Hipertrofia de adenoide

Tumor nasal

Obstrução da via lacrimal

Tumor de hipófise

Sangramento nasal/epistaxe

Dor de cabeça/cefaleia

Nariz trancado ou entupido/obstrução ou congestão nasal

Secreção nasal

Alterações do olfato

Fistula liquórica

Descompressão orbitária

Acesso a base de crânio

Polipo antrocoanal/killiam

Ouvido

Dor de ouvido

Otite média aguda

Otite de repetição

Otite média crônica

Otite média serosa

Otite externa

Perfuração timpânica

Colesteatoma

Otosclerose

Tontura ou vertigem

Perda auditiva ou surdez

Dificuldade para escutar

Aparelho auditivo

Zumbido

Atraso de linguagem

Ouvido tampado ou entupido

Ouvido vazando/secreção no ouvido

Barulho nos ouvidos

Cerume/cera no ouvido

Mastoidite/mastoidopatia

Paralisia facial periférica

Surdez súbita

Presbiacusia

Garganta

Roncos noturnos

Apneia do sono

Hipertrofia de amígdalas

Hipertrofia adenoamigdaliana

Disfonia/rouquidão

Tosse crônica

Amigdalite/dor de garganta

Caseum/bolinhas brancas nas amígdalas

Estomatite

Disfagia/dificuldade para deglutir

Paralisia de prega vocal

Voz profissional

Cabeça e Pescoço

Tireoide

Parótida

Tumor no nariz

Tumor na orelha

Tumor na língua

Tumor de laringe

Tumor de tireoide

Tumor de parótida

Tumor de glândulas salivares

Nódulos de tireoide

Linfonodomegalias

Tumor de nasofaringe

Tumor de nasofaringe

Você é nossa prioridade!

Buscamos oferecer um atendimento humanizado e de excelência, para que você possa viver mais e melhor.

Nossos serviços

Exames

Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

Este exame é solicitado quando há suspeita da existência de um Transtorno de Processamento Auditivo Central, ou seja, quando o paciente apresenta:

  • Dificuldade de aprendizagem e/ou para ler e escrever;
  • Troca de letras para falar, ler ou escrever;
  • Dificuldade de memória;
  • Desatenção e/ou distração;
  • Cansaço rápido quando está assistindo às aulas ou palestras;
  • Agitação e/ou inquietação;
  • Dificuldade para ouvir e prestar atenção em ambientes ruidosos;
  • Pede para repetir (?o que??, ?hã??) ou dizer ?não entendi?;
  • Parece não ouvir/entender bem;
  • Demora para escutar e/ou compreender o que foi dito;
  • Dificuldade em conversas com muitas pessoas ao mesmo tempo;
  • Dificuldade para localizar de onde o som está vindo;
  • Dificuldade para realizar uma sequência de tarefas que lhe foi solicitada.

 

É realizado em crianças (a partir de 6 anos) ou adultos usando fones de ouvido em cabine acústica e realizando tarefas específicas. O número de acertos indica se o exame está normal para cada idade ou identifica quais são as habilidades cerebrais que estão alteradas.

Pode ser feito em pacientes com audição normal ou com perda auditiva (inclusive nos que usam aparelho auditivo), sem causar nenhum desconforto.

De fácil aceitação, este exame é realizado por meio da introdução de uma delicada fibra óptica rígida ou flexível nas fossas nasais de adultos e crianças, após a aplicação de anestésico local na forma de spray nasal. A imagem captada é transmitida para um monitor para análise das vias aéreas superiores, podendo visualizar, por exemplo, lesões no nariz e cavidade nasal, processos infecciosos agudos e crônicos do nariz e seios paranasais, desvio de septo nasal, hipertrofia de cornetos, hipertrofia de adenoides, corpos estranhos de nariz e hipofaringe, alterações na laringe e pregas vocais etc.

Exame realizado através da cavidade oral, com anestesia local do tipo spray, por meio da introdução de um endoscópio rígido até a região mais posterior da língua.

Permite imagens mais detalhadas e de melhor qualidade em situações de alterações da laringe e pregas vocais. Muito útil e indispensável nos casos de rouquidão.

Não há necessidade de sedação ou anestesia geral e não é necessário preparo do paciente com medicações ou jejum prolongado.

Avalia a audição, determinando o mínimo de intensidade sonora necessária para que o paciente detecte o som. Isto permite determinar a condição auditiva do paciente, se a audição encontra-se dentro da normalidade ou se há perda auditiva, e neste caso, avaliar o grau e o tipo da perda. É realizada em cabina acústica com uso de fones e de tons puros em várias freqüências. O exame exige participação e atenção do paciente.

Avalia as condições da orelha média (tímpano e “ossinhos da audição”) e tuba auditiva (canal que liga a orelha ao nariz). É realizado através da colocação de uma sonda em um dos ouvidos e de um fone no outro. Não provoca dor, somente uma pressão e o som de alguns apitos.

Cirurgias

Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

Adenoidectomia: Remoção da adenoide

Amigdalectomia/Tonsilectomia: Remoção das amígdalas ou tonsilas palatina

Adenoamigdalectomia/ Adenotonsilectomia: Remoção das amigdalas e adenoides

Consistem na remoção das amígdalas e adenoides e são as cirurgias mais realizadas por otorrinolaringologistas em todo o mundo.

Realizadas sob anestesia geral e na maioria das vezes através da cavidade oral (boca). No caso da adenoidectomia pode ser realizado com auxílio de endoscopia pela cavidade nasal.

Entre as indicações mais freqüentes de cirurgia, estão os quadros de amigdalites de repetição, obstrução nasal e, principalmente, distúrbios respiratórios relacionados ao sono. Casos cirúrgicos menos freqüentes correspondem a caseum (“massinhas” esbranquiçadas localizadas nas amígdalas e frequentemente confundidas com pus) e amigdalites de repetição em adultos (amigdalectomia), otites de repetição em crianças (adenoidectomia) e sinusite crônica em crianças (adenoidectomia).

É muito frequente entre os pais e familiares a dúvida quanto aos possíveis prejuízos da remoção das amígdalas e adenoides sobre o sistema imune das crianças. No entanto, não existem evidências definitivas de que este procedimento resulte em danos à imunidade, inclusive em pacientes pediátricos!

O atraso no diagnóstico e tratamento destas condições pode resultar em consequências importantes e até mesmo irreversíveis, tais como alteração de comportamento e do crescimento, alterações craniofaciais decorrentes da respiração bucal, dificuldades de mastigação e deglutição, além de problemas cardíacos e pulmonares.

Para maiores informação acesse nosso blog.

Septoplastia: correção do desvio do septo nasal

Turbinoplastia/Turbinectomia: cirurgia de redução das conchas nasais (cornetos ou popularmente “carne esponjosa”)

Tem como o objetivo o alívio da obstrução nasal (nariz entupido) em casos não responsivos a tratamento clínico.

São realizadas sob anestesia geral e com auxílio de videoendoscopia de alta definição.

A cirurgia de septoplastia é realizada através de uma pequena incisão, próxima à entrada de uma das narinas e consiste na remoção da cartilagem e osso desviados. A cirurgia dos cornetos consiste na redução parcial do volume de um corneto hipertrofiado (aumentado) possibilitando o aumento do fluxo de ar através da cavidade nasal. Ambas são realizadas totalmente por dentro do nariz e não resultam em cicatrizes externas e/ou hematomas faciais.

O uso de tampões nasais, preconizados no passado, hoje em dia é uma exceção, reservados para casos muito selecionados.

Para maiores informação acesse nosso blog.

Cirurgia para tratamento de casos de disfonia (rouquidão), através da remoção de pólipos, cistos e edemas. Realizada através da boca e com o uso do microscópio, sob anestesia geral. Também pode ser empregada para a realização de biópsias de lesões benignas e malignas da laringe.

Uvulopalatofaringoplastia: cirurgia do ronco

É realizada sob anestesia geral, com acesso cirúrgico pela boca sem deixar cicatrizes.

Consiste na remoção das amígdalas palatinas somado a modificações na anatomia do palato mole (“céu da boca”) por meio de suturas e úvula (“campainha”).

A integridade e continuidade dos pequenos ossos do ouvido médio são indispensáveis para uma boa audição.
Em casos de traumas e infecções crônicas dos ouvidos, estes ossículos podem ser comprometidos, fazendo com que seja necessário se reestabelecer a sua integridade, através de pequenos fragmentos ósseos retirados do próprio paciente ou de próteses de materiais como titânio e teflon.

A Otosclerose é uma doença que acarreta a fixação de um ossículo (pequeno osso chamado estribo) da audição, prejudicando a transmissão do som do meio externo até a orelha interna e consequentemente causando perda auditiva.
<br>
A estapedotomia consiste na remoção do estribo que está fixo e na sua substituição por uma minúscula prótese de titânio ou teflon, a qual passará a transmitir o som até as estruturas da orelha interna.
<br>
Realizada na grande maioria das vezes através do conduto auditivo, sem deixar cicatrizes e com o uso do microscópio cirúrgico.

Sinusectomia endoscópica/Cirurgia funcional dos seios paranasais/Cirurgia endoscópica nasossinusal: tratamento cirúrgico da rinossinusite

Os seios da face são cavidades preenchidas por ar que se encontram no interior dos ossos do crânio e face. Apresentam o seu interior “forrado” por uma fina camada de mucosa respiratória. A inflamação da mucosa dos seios da face é chamada de sinusite e acarreta obstrução nasal, dores faciais e drenagem de secreções através do nariz.

Com o objetivo de restabelecer a fisiologia nasal, otimizar a drenagem de secreções, permitir acesso às medicações tópicas e melhorar a ventilação dessas estruturas, a cirurgia consiste na remoção dos tecidos inflamados/pólipos e ampliação dos óstios (orifícios de drenagem) dos seios paranasais.

É realizada sob anestesia geral e o acesso cirúrgico se faz normalmente por meio das narinas, evitando cicatrizes. É realizada normalmente em adultos com o auxílio de videoendoscopia de alta definição (fibra óptica conectada a uma câmera e monitor de vídeo os quais possibilitam uma visão detalhada e ampliada das estruturas nasais).

Para maiores informação acesse nosso blog.

As cirurgias de ouvido envolvem o tratamento de variadas condições/doenças, portanto, envolve diferentes tipos de procedimentos com maior ou menor grau de complexidade.

Timpanotomia para tubo de ventilação: inserção de um “dreno” para o tratamento de secreções na orelha média (otite média secretora/serosa/com efusão/seromucoide)

Timpanoplastia: reconstrução da membrana do tímpano para o fechamento de uma perfuração timpânica.

Mastoidectomia: remoção das porções doentes do osso temporal e da mucosa cronicamente inflamada.

Estapedotomia/Estapedectomia: remoção do estribo e sua substituição por uma prótese para o tratamento cirúrgico da perda auditiva decorrente da otosclerose.

Reconstrução de cadeia ossicular: substituição dos “ossinhos da audição” por pequenos fragmentos ósseos retirados do próprio paciente ou próteses de materiais como titânio e teflon.

Implante coclear: implantação de um eletrodo no interior do órgão auditivo (cóclea) para o tratamento de perdas auditivas sem resposta ao uso de próteses auditivas convencionais.

A intima relação entre o cérebro e a cavidade nasal permite com que lesões localizadas na porção mais inferior da cavidade craniana sejam tratadas através do nariz. O exemplo mais comum é a cirurgia da glândula hipófise. Comunicações espontâneas ou traumáticas entre o cérebro e o nariz (fístula liquórica) e outras lesões benignas ou malignas também pode ser tratadas através dessa via. É realizada “a quatro mãos” através de ambas as narinas e com auxílio da videoendoscopia. O procedimento é feito em conjunto com a equipe de neurocirurgia.

Além da cirurgia de septoplastia e da sinusite outras condições nasais são tratadas cirurgicamente. Citaremos algumas, e todas abaixo são realizadas sob anestesia geral, com auxilio da videoendoscopia nasal (através das narinas, sem cortes externos) permitindo ampliação da imagem com riqueza de detalhes.

Dacriocistorrinostomia endoscópica: desobstrução das vias lacrimais

Indicada para pacientes com dacriocistites (infecções) de repetição ou epífora (lacrimejamento). É realizada a desobstrução do saco lacrimal por dentro do nariz sem deixar cicatrizes externas.

Correção de atresia de cóanas: Consiste na correção de uma malformação da cavidade nasal devido a persistência de uma membrana ósseo cartilaginosa que obstrui a abertura de trás da cavidade nasal impedindo a passagem do fluxo nasal. É feita a remoção desta placa aliado a rotação de retalhos de mucosa da cavidade nasal.

Ressecção de pólipo antrocoanal (Killian): É o crescimento de um tecido em forma de saco que tem origem no interior do seio maxilar em direção a região posterior do nariz, causando obstrução da via área. A lesão deve ser removida na sua totalidade, incluindo o seu ponto de inserção (origem).

Ressecção de tumores nasais benignos e malignos: São lesões pouco frequentes e quando presentes podem causar obstrução nasal, sangramento, desconforto facial, rinossinusites recorrentes, etc. Antigamente, o acesso cirúrgico era realizado através da boca ou da face, fato incomum nos dias de hoje.

Tratamento de rinossinusite fúngica (Bola fúngica): Menos comumente que as sinusites bacterianas, os fungos também podem estar envolvidos em quadros crônicos. O tratamento medicamentoso não é eficaz, exigindo a necessidade de intervenção cirúrgica. Consiste na abertura do seio paranasal e remoção mecânica através da lavagem exaustiva com soro fisiológico.

Descompressão orbitária: Realizada em alguns casos de sinusite aguda bacteriana complicada envolvendo a região da órbita (olho) com o objetivo de reduzir a pressão nos tecidos da órbita.

Também utilizada em casos de exoftalmia acentuada, como por exemplo na tireoidopatia de graves.

Biópsia nasal: Lesões de origem indeterminada necessitam de diagnóstico anátomo patológico. A amostra tecidual é obtida através de um procedimento com auxílio de vídeoendoscopia nasal.

Terapia Fonoaudiológica

Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

Voz falada: Profissionais da voz como: professores, vendedores, operadores de telemarkting, radialistas, jornalistas, pastores, padres, que apresentam patologias (nódulos, pólipos, cistos…) nas cordas vocais ou apenas aperfeiçoamento e reeducação vocal.

Dicção: Melhorar e aperfeiçoar a articulação em profissionais que utilizam a fala em palestras, comícios, teatro e apresentações de trabalhos de conclusão de cursos entre outros.

Voz cantada: Cantores que precisam melhorar a qualidade vocal e prevenir possíveis alterações vocais.

Respiração Oral: Criança ou adulto que ronca, mantém a boca sempre aberta, dificuldades em respirar pelo nariz.

Ronco e Apnéia: Adultos que apresentam dificuldade respiratória e reclamação de ronco exagerado e paradas respiratórias durante o sono.
Paralisia facial: Um lado ou os dois lados da face ficam sem movimento por problemas como AVC (derrame), acidentes, cirurgias ou Paralisia de Bell (paralisia súbita).

Estética facial: É realizado fortalecimento da musculatura da face contra as linhas de expressão

Disfagia: Dificuldade de deglutição (engolir), por problemas neurológicos

Nesta área, o fonoaudiólogo atua nos casos de:

Trocas na fala – Ex.: Criança que fala errado: /gato/-/tato/ /prato/-/pato/

Gagueira – Ex.: Prolonga os sons na fala: /PA PA PA palito/ /eu eu eu.. vou/

Atraso na aquisição da fala – Demora pra falar, não fala. Ex.: 2 anos e meio e ainda não fala nenhum som.

Aprendizagem da leitura e escrita – Não lê, troca letras na escrita, reprovações, dificuldade de ler e escrever.

Afasia
– Alteração da comunicação na linguagem expressiva e/ou compreensão após AVC (derrame), TCE (traumatismo crânio encefálico ou tumor cerebral com lesão de hemisfério esquerdo responsável pela fala.

Aparelhos Auditivos

A Clínica de Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia oferece um serviço de teste e adaptação de aparelhos auditivos.

Dispomos de variados modelos de aparelhos auditivos (receptor no canal, microcanal, intracanal, retroauricular) assim como de acessórios de conectividade sem fio (sistema FM, conectividade com celular e TV).

Na prática, depois de indicada o uso de prótese auditiva o paciente consulta com a fonoaudióloga responsável e faz uma experiência em domicílio por um período de 5-7 dias. Este teste tem o objetivo de verificar e confirmar o benefício do aparelho durante suas atividades habituais.

O teste não tem custo e o paciente não deve se sentir no compromisso de adquirir os aparelhos, pelo contrário, sua maior importância esta no fato de evitar a aquisição de um aparelho na eventualidade do paciente não se sentir adaptado.

Telemedicina

Otorrinolaringologia e Fonoaudiologia em Passo Fundo - RS

Graças ao mundo tecnológico podemos nos adaptar e enfrentar com segurança a pandemia do coronavírus.
O Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério da Saúde regulamentaram – excepcionalmente durante o período da pandemia – o uso da telemedicina para prevenção, diagnóstico, monitoramento e tratamento de doenças a distância. Por isso, a COF, preocupada com a saúde de seus colaboradores e pacientes, aderiu à esta ferramenta e está realizando atendimentos por telemedicina.

Agende uma consulta!

Venha cuidar da sua saúde e qualidade de vida conosco.

Nossos

Profissionais

Como podemos te ajudar?

Nossa equipe Multidisciplinar está pronta para te auxiliar a ter uma vida mais saudável e feliz.

Depoimentos

"Sou profissional da voz (professor). Minha terapia com a Fga. Naíma me trouxe mais conforto e qualidade vocal para as minhas atividades. Profissional exemplar pela sua dedicação. "
Anônimo
"O atendimento da clínica é muito bom. As secretárias são gentis e atenciosas. Além disso, o Dr. Fábio é um excelente profissional que possui muito conhecimento de sua especialidade. Recomendo!"
Anônimo
"A Dra. Carolina é sempre muito querida e atenciosa com a nossa família. Ótimo atendimento e resolutividade."
Anônimo
"Sou paciente da clínica há alguns anos. Procurei atendimento médico por sofrer de tonturas. Fui encaminhada para exames auditivos com a Fga. Fernanda e depois fiz a adaptação de aparelhos auditivos. Quero deixar também um agradecimento à Janice e Lídia (secretárias) que com tanta simpatia e carinho me atendem quando retorno para acompanhamento. Parabéns para a equipe COF pelo profissionalismo e respeito com os pacientes. Gratidão, bem estar e alegria resumem minhas visitas à clínica!"
Anônimo

Contato

Enviar mensagem
Endereço
  • Rua Teixeira Soares, 885, - salas 405 e 406
    Ed. das Clínicas, em frente ao Hospital São Vicente de Paulo
    Passo Fundo/RS | CEP 99010-081
  • Estacionamentos próximos, acessibilidade, ótima localização, wi-fi e alta resolutividade.
  • Convênios atendidos: Unimed, IPERGS, CAPASEMU, Cassi, Prontoclínica, Viamed, Usamed, Coopsaúde, Saúde Certa, CABERGS e AFHSVP.

Artigos do

Blog

paralisia facial

Paralisia facial: sintomas, causas e tratamentos

A paralisia facial ocorre quando, por algum motivo, os movimentos do rosto estão comprometidos. Dessa forma, movimentos simples como abrir e fechar os olhos, falar,

  • Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM);
  • Residência Médica em Otorrinolaringologia (reconhecida pelo MEC) no Complexo Hospitalar Professor Edmundo Vasconcelos - São Paulo;
  • Ex-Fellowship em Otologia e Cirurgia Otológica na Universidade Federal de São Paulo / Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM) – São Paulo;
  • Mestrado em Ciências Cirúrgicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS);
  • Título de especialista em Otorrinolaringologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e
    Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF);
  • Membro titular da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORLCCF);
  • Professor da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina e Fonoaudiologia da Universidade de Passo Fundo (UPF);
  • Visiting Program no House Ear Institute – Los Angeles, Califórnia/EUA.
  • Graduada em Medicina pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC);
  • Residência Médica em Otorrinolaringologia (reconhecida pelo MEC) pelo Hospital Universitário Evangélico de Curitiba;
  • Título de especialista em Otorrinolaringologia pela Associação Médica Brasileira (AMB) e
    Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF);
  • Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF);
  • Professora da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina e Fonoaudiologia da Universidade de Passo Fundo (UPF).
  • Graduado em Medicina pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC);
  • Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital da Cidade de Passo Fundo;
  • Residência Médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia (ISCMPA) de Porto Alegre.
  • Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade de Passo Fundo (UPF);
  • Especialização em Motricidade Orofacial pelo Instituto de Ensinos Avançados da Audição – São Paulo/SP;
  • Experiência Clínica, Hospitalar, Domiciliar e em Unidade Básica de Saúde.
  • Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade de Passo Fundo (UPF);
  • Aprimoramento em Processamento Auditivo Central pelo Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica (CEFAC), Porto Alegre/RS;
  • Avaliação auditiva (audiometria tonal e vocal / audiometria ocupacional / imitanciometria / Avaliação do Processamento Auditivo);
  • Teste e adaptação de próteses auditivas (aparelhos auditivos).